Leia matéria especial escrita por Dr. Marcel Coloma ao suacorrida.com.br sobre corrida x cigarro

01 jun

CIGARRO X VIDA DE ESPORTISTA

No Dia Mundial de Combate ao Tabagismo, listamos todos os benefícios que um atleta obtém já nos primeiros minutos após largar o cigarro.

Por: Marcel Coloma* – São Paulo – 31/05/2016
Quantas vezes você vê atletas de elite fumando? Com certeza raramente. Isso porque pessoas ligadas ao esporte cuidam muito bem de sua saúde e da parte física – e a maioria dos atletas sabe os malefícios que o cigarro pode causa na sua performance. Além disso, atletas profissionais são exemplos para muitas pessoas, especialmente crianças, não devendo estimular a prática de hábitos prejudiciais.

É menos frequente que fumantes participem de esportes. Quando quem fuma pratica alguma atividade física, as substâncias do cigarro reduzem sua capacidade no desempenho. Fumantes podem perder até metade do seu ganho físico com treinamento devido ao efeito nocivo do cigarro.

As substâncias que realmente prejudicam a performance do atleta são o monóxido de carbono, a nicotina e o alcatrão. Veja os males que elas causam no organismo:

Monóxido de carbono:
Inchaço nas vias aéreas que restringe a quantidade de ar que se move para dentro e fora dos pulmões (isso resulta em menos ar chegando aos pulmões e consequentemente menos oxigênio carregado para o sangue e músculos). Além disso, atua na redução do transporte de oxigênio para todas as células do corpo, já que o monóxido de carbono se liga ao mesmo local do oxigênio a ser transportado. Isso faz com que o coração trabalhe mais. Outro malefício para a conta: menor capacidade dos músculos em receber oxigênio. Isso faz com que eles não funcionem tão bem quanto deveriam, reduzindo o desempenho do atleta. O monóxido de carbono também piora a visão, percepção do tempo e coordenação.

Nicotina:

Aumento da frequência cardíaca, o que significa que o coração do fumante tem que trabalhar mais para produzir o mesmo efeito do coração de um não fumante. Vale lembrar que atletas têm frequência cardíaca reduzida. A nicotina também é responsável pela constrição dos vasos sanguíneos, levando à redução do fluxo sanguíneo e aumento da pressão arterial.

Alcatrão:
Redução da elasticidade dos pulmões, resultando em menos ar a ser inspirado e expirado.

Durante o exercício, os fumantes chegam mais rapidamente à exaustão, com respiração mais curta; têm redução do desempenho; reagem mais lentamente aos estímulos; têm pior julgamento visual. Mas a boa notícia é que nunca é tarde para largar o vício! Confira os benefícios que um atleta que decida se tornar ex-fumante vai obter:

– Em 20 minutos, a pressão sanguínea diminui e a frequência cardíaca volta ao normal;
– Após 2 horas, não há mais nicotina circulando;
– Após 8 horas, o nível de oxigênio e monóxido de carbono se aproximam do normal;
– Após 24 horas, os pulmões já funcionam melhor, eliminando o muco e os resíduos da fumaça;
– Após 2 dias, ocorre melhora no olfato e paladar;
– Após 3 semanas, a respiração e circulação melhoram, a fadiga e a falta de ar diminuem.

* Marcel Coloma é cardiologista e médico responsável pela clínica PARARFUMAR, no Rio de Janeiro.

 

Fonte: http://www.suacorrida.com.br/saude/cigarro-x-vida-de-esportista/

 

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *